Conheça os objetivos mundiais para um desenvolvimento sustentável

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) compreendem uma coleção de 17 metas globais estabelecidas pela Cúpula das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável. O Brasil participou de todas as sessões da negociação intergovernamental. Esse processo teve início em 2013 e foram concluídos em agosto de 2015.

Os ODS deverão orientar as políticas nacionais e as atividades de cooperação internacional até 2030, sucedendo e atualizando os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Desse modo, os ODS, também conhecidos como Agenda 2030, abrangem questões de desenvolvimento social e econômico, incluindo:

1. Erradicação da pobreza - Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.

2. Fome zero e agricultura sustentável - Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável.

3. Saúde e bem-estar - Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades.

4. Educação de qualidade - Assegurar a educação inclusiva, e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.

5. Igualdade de gênero - Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

6. Água limpa e saneamento - Garantir disponibilidade e manejo sustentável da água e saneamento para todos.

7. Energia limpa e acessível - Garantir acesso à energia barata, confiável, sustentável e renovável para todos.

8. Trabalho de decente e crescimento econômico - Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo, e trabalho decente para todos.

9. Inovação infraestrutura - Construir infraestrutura resiliente, promover a industrialização inclusiva e sustentável, e fomentar a inovação.

10. Redução das desigualdades - Reduzir as desigualdades dentro dos países e entre eles.

11. Cidades e comunidades sustentáveis - Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

12. Consumo e produção responsáveis - Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis.

13. Ação contra a mudança global do clima - Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos.

14. Vida na água - Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares, e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

15. Vida terrestre - Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da Terra e deter a perda da biodiversidade.

16. Paz, justiça e instituições eficazes - Promover sociedades pacíficas e inclusivas par ao desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis.

17. Parcerias e meios de implementação - Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

O Conselho Nacional de Justiça por meio da Portaria Nº 133 de 28/09/2018 instituiu o Comitê Interinstitucional destinado a proceder estudos e apresentar proposta de integração das metas do Poder Judiciário Nacional com as metas e indicadores dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Agenda 2030.

No Tribunal de Justiça de Roraima a preocupação com a Sustentabilidade é Valor Institucional expresso no Plano Estratégico 2015-2020 e executada diariamente em ações do Comitê de Logística Sustentável. A principal delas, a Semana do Meio Ambiente.

Atualmente, consta na Minuta de Portaria da GAD, em consulta pública, a inclusão da meta de economia de energia, água, copo descartável e tonner, em alinhamento aos ODS da Agenda 2030.

Em 2018, o Poder Judiciário de Roraima gastou com energia elétrica, água, consumo de papel e copo descartável, aproximadamente, R$ 1. 849.380,54. A estimativa de gasto para 2019 é de R$ 1.664.442,49, economia prevista de 10%.

 

Dicas para economizar energia:

  • Lembre-se de desligar sempre lâmpadas, computadores e condicionadores de ar quando os mesmos não estiverem em uso;

  • Abra as cortinas sempre que possível para clarear os ambientes de maneira natural;

  • Mantenha o ar-condicionado constantemente na temperatura de 23ºC (isso permite economia de 50% no consumo de energia elétrica do aparelho);

  • Avise aos responsáveis pela manutenção dos prédios quando avistar alguma luz, computador ou condicionador de ar ligado sem uso. É possível realizar remotamente o desligamento de alguns aparelhos em caso de esquecimento de alguém;

  • Se na sua sala tiver micro-ondas ou outro aparelho eletrônico, deixe-o desligado da tomada, ligando apenas quando for utilizá-lo.

Dicas para economizar consumo de copos descartáveis:

  • Utilize copos e xícaras permanentes;

  • Utilize copos descartáveis apenas para oferecer para jurisdicionados, usuários e visitantes;

  • Em eventos e reuniões, cada participante usa, em média, 3 copos descartáveis. Procure reutilizar os copos descartáveis durante eventos e reuniões. Sempre que possível, em reuniões fora da sua sala de trabalho leve seu copo e/ou xícara.

Dicas para economizar papel:

  • Analise o real interesse público daquela impressão antes de fazê-la;

  • Se existir na sua unidade, estoque de papel, priorize sua utilização até o fim, antes de realizar novos pedidos;

  • Lembre-se de utilizar, sempre que possível, os meios digitais disponíveis como os Sistemas Judiciais eletrônicos, SEI, G-mail, Google Documentos, E-mail e outros;

  • Priorize a comunicação eletrônica com as partes, instituições e demais envolvidos no Sistema de Justiça;

  • Evite despachos laterais ou redundantes que possam resultar em expedição de mandados ou documentos em duplicidade;

  • Pode confiar! Sua assinatura eletrônica tem o mesmo valor da assinatura feita com caneta num papel, não sendo necessário imprimir um documento para assiná-lo e escaneá-lo de volta para juntar em um SEI ou qualquer outro sistema;