RESPONSABILIDADE AMBIENTAL - Unidades do Poder Judiciário recebem Selo de Economia por redução no consumo de papel

A ação faz parte da programação da Semana do Meio Ambiente e está prevista no Planejamento Estratégico da Instituição.

 

 

Com os avanços tecnológicos, novas formas de se relacionar e desenvolver algumas atividades dentro do ambiente de trabalho foram mudando. Processos físicos foram digitalizados e, aos poucos, os papéis estão sendo deixados de lado. Atenta aos benefícios que pequenas ações podem proporcionar ao meio ambiente, a gestão do TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima) por meio da SGE (Secretaria de Gestão Estratégica) tem adotado várias medidas que objetivam os cuidados com a natureza.

 

Na terceira edição da Semana do Meio Ambiente, a SGE reconheceu, com o "Eco Selo", um Selo de Economia, as unidades que conseguiram, por meio da adoção de boas práticas, redução no consumo de papel no período de 2017 e 2018.

“Um dos nossos valores expressos no Plano Estratégico é a sustentabilidade, e a economia de papel está alinhada a essa ideia”, explicou a subsecretária de Planejamento e Gestão de Projetos, Erika Horta. 


O Setor de Primeiro Atendimento do Fórum Criminal Ministro Evandro Lins e Silva reduziu em mais de 93% o uso de papel; e para a recepcionista do local, Nicole Magalhães, esse reconhecimento promovido pelo Tribunal é uma dentre as várias ações que tem surtido efeito positivo dentro da instituição.

 

“A iniciativa do Tribunal de Justiça em incentivar e premiar boas ações é muito importante. No setor, também fomos estimulados com a campanha Adote uma Caneca, desenvolvida pela instituição; e desde então não fazemos uso de copos descartáveis”, explicou.

A comarca de Bonfim, localizada no interior de Roraima, conseguiu uma redução de mais de 89%, e o diretor de secretaria da unidade, Antônio Ricardo da Silva, destaca que receber o selo é uma forma de incentivar outras pessoas a adotarem uma postura positiva em relação ao meio ambiente.

 

“É gratificante saber que estamos, por meio de atitudes como essa, contribuindo com o meio ambiente. Outra preocupação nossa é com o uso racional de energia elétrica e combustível”, comentou.

 

AÇÃO DE REAPROVEITAMENTO – Além do reconhecimento das unidades que têm conseguido reduzir o uso de papel no Poder Judiciário de Roraima, ações para o reaproveitamento do que ainda foi utilizado são promovidas também dentro da instituição.

A SGE espalhou por todas as unidades do TJRR pontos para coleta de papel. A intenção é dar uma destinação mais adequada aos resíduos que estão sendo gerados com o trabalho de digitalização e outras atividades que ainda exigem uso deste material, que será triturado e depois enviado para cooperativas de Boa Vista, que trabalham com reaproveitamento de papel.


Confira quais foram as unidades reconhecidas com o selo:


Comarca de Alto Alegre – Gabinete

Setor de Primeiro Atendimento do Fórum Criminal

Comarca de Bonfim

Comissão Permanente de Avaliação de Documentos

Assessoria Jurídica Virtual

Seção de Almoxarifado

Divisão de Contabilidade

Núcleo de Atendimento e Conciliação – Terminal Caimbé

1º Jesp Criminal - Gabinete

Comissão Permanente de Segurança Institucional

Gabinete da Primeira Vara Cível

Diretoria do Fórum Cível - Setor de Protocolo de 1º Grau

5ª Vara Cível de Competência Residual - Gabinete

Seção de Protocolo

Secretaria de Gestão Estratégica

2ª Vara Criminal do Tribunal do Juri - Cartório

Corregedoria-Geral de Justiça

Juizado Especial da Fazenda Pública - Cartório

2ª Vara Criminal de Competência Residual - Gabinete

Comarca de São Luiz - Gabinete

Núcleo de Repercussão Geral e Recursos Repetitivos

Setor de Dados e Apoio à Decisão

2ª Vara Cível de Competência Residual - Gabinete

Gabinete desembargador Jésus Rodrigues do Nascimento

1ª Vara do Tribunal do Júri e da Justiça – Cartório

Comarca de Rorainópolis

Subsecretaria de Acompanhamento de Pessoal

1ª Vara do Tribunal do Júri e da Justiça Militar – Gabinete

Secretaria das Câmaras Reunidas

Comissão Permanente de Jurisprudência

Diretoria do Fórum Criminal - Setor de Protocolo do 1º Grau

1º Jesp Criminal - Cartório

Secretaria do Tribunal Pleno

Comarca de Caracaraí

Gabinete desembargadora Elaine Bianchi

Vara de Crimes Contra Criança, Adolescente e Idoso - Cartório

Subsecretaria de Patrimônio

Comarca de Pacaraima

Divisão de Orçamento

Setor de Biblioteca

Gabinete Juízes Substitutos

Coordenadoria da Infância e da Juventude

Assessoria Militar

Juizado Especial de Fazenda Pública - Gabinete

Central de Mandados

Vara de Crimes de Tráfico de Drogas – Cartório

Gabinete desembargador Jefferson Fernandes

Cartório Distribuidor - Justiça Comum

Comarca de Mucajaí - Gabinete

6ª Vara Cível de Competência Residual - Cartório

Núcleo de Controle Interno

Gabinete desembargador Mozarildo Cavalcanti

Secretaria de Orçamento e Finanças

Contadoria do Fórum

3ª Vara Cível de Competência Residual - Cartório

2ª Vara da Fazenda Pública - Gabinete

Secretaria da Primeira Vara Cível

2ª Vara Criminal do Tribunal do júri - Gabinete

2ª Vara de Família, Sucessões, Órfãos, Interditos - Gabinete

Vara de Execução Penal- Gabinete

1ª Vara da Infância e Juventude – Cartório

Vara de Execução Penal - Cartório

Núcleo Jurídico Administrativo

Subsecretaria de Saúde

Presidência

Gabinete desembargadora Tânia Vasconcelos

Secretaria de Gestão de Pessoas

2ª Vara de Família, Sucessões, Órfãos, Interditos - Cartório

Seção de Serviços Gerais do Fórum

Seção de Acompanhamento e Controle de Pessoal

Turma Recursal

1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar – Gabinete

2ª Vara da Fazenda Pública - Cartório

Secretaria Geral

Gabinete desembargador Cristóvão Súter

Vara De Crimes Contra Criança, Adolescente E Idoso – Gabinete

Núcleo De Comunicação e Relações Institucionais

1ª Vara Da Fazenda Pública – Gabinete

 

Boa Vista, 05 de junho de 2019.

TJRR disponibiliza pontos de coleta para doação de papel

A iniciativa visa receber papéis que já foram usados em empresas e instituições com impressões ou rascunho e iriam para no lixo, mas que pode beneficiar entidades que trabalham com reciclagem

 

 

 

 

A cada dia, com o processo de digitalização, o TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima) elimina cada vez mais o uso do papel. Mas com isso, também vão ficando para trás aqueles documentos físicos que se transformam em digitais. Assim, visando descartar de maneira adequada os resíduos que estão sendo gerados com o trabalho de digitalização, o tribunal, por meio da SGE (Secretaria de Gestão Estratégica) deu início nesta segunda-feira, dia 8, a ação de coleta de papel nas diversas unidades do judiciário na Capital.

 

Segundo a secretária de Gestão Estratégica, Inaiara Sá, a iniciativa surgiu na 1a Vara do Juri, que solicitou um projeto de recolhimento de papel já utilizado, pois com a entrada do processo eletrônico, foi iniciada uma reorganização na unidade judicial, onde um grande volume de papel foi retirado, demanda um descarte adequado para evitar acúmulo de lixo no meio ambiente.

Leia mais:TJRR disponibiliza pontos de coleta para doação de papel

DIA MUNDIAL DA ÁGUA - Fórum Criminal realiza captação de água da chuva

Uma caixa de 100 mil litros armazena e distribui a água para uso nos banheiros da unidade do Tribunal de Justiça de Roraima.

 

O prédio foi construído já com o projeto de reutilização da água da chuva e realiza a atividade desde o início das atividades em 2016

 

Economizar para não deixar faltar. Essa expressão é cada vez mais comum quando se trata de um dos bens considerados mais preciosos que temos: a água. Hoje, dia 22 de março é celebrado o Dia Mundial da Água e o Fórum Criminal Ministro Evandro Lins e Silva, do TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima), pode ser considerado um dos exemplos em Roraima, em matéria de conservação deste recurso natural.

Leia mais:DIA MUNDIAL DA ÁGUA - Fórum Criminal realiza captação de água da chuva

Fórum Criminal economiza até 10% de energia elétrica com consumo consciente

Lembretes com mensagens voltadas para a economia e sustentabilidade, fixados acima dos interruptores, estão espalhados por todo o prédio

 

O uso correto de recursos naturais tem se tornado uma preocupação mundial. Foi pensando de forma sustentável, que o administrador do Fórum Criminal do TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima), Vilton Flor, teve a ideia de promover no local de trabalho, o uso consciente da energia elétrica.

“Atitudes simples como apagar a luz e desligar o ar-condicionado ao sair da sala, não manter computadores ligados sem necessidade, geram uma economia significativa ao final do mês. E temos trabalhado diariamente para estimular cada vez mais servidores e colaboradores a somar com a causa”, explicou.

 

O prédio está localizado no bairro Caranã e desde a inauguração em 2016 é realizado um acompanhamento do consumo de energia. Segundo Flor, o gasto mensal com eletricidade nos anos de 2017 e 2018, teve uma redução de quase R$ 3 mil, um saldo de R$ 35 mil em 12 meses. Ele detalhou ainda que essa diminuição é reflexo de algumas medidas de eficiência energética adotadas, entre elas, abrir as cortinas para aproveitar a luz solar, minimizando o uso da iluminação artificial.

As luzes dos corredores também ganharam atenção especial. “Foi solicitado o desligamento de duas lâmpadas, uma vez que este espaço é bastante iluminado, devido à presença da claraboia”, comentou, destacando que os usuários também são instruídos quanto ao uso correto dos elevadores.

“Existem dois elevadores com capacidade para oito e 14 pessoas respectivamente. Então, o que fazemos é orientar a não solicitar os dois ao mesmo tempo e evitar, quando em menor número, utilizar o de capacidade inferior. Pois tudo isso reflete no consumo”, esclareceu.

 

Por meio de um programa instalado no computador que ele usa, o administrador consegue controlar de forma remota os aparelhos de ar-condicionado do prédio. “Esta ferramenta ajuda bastante na busca pela economia, já que consigo visualizar os aparelhos ligados fora do horário de trabalho e assim, desligá-los à distância”, comentou.

Raissa Pinto, uma das servidoras que trabalha no Fórum Criminal, considera importante a iniciativa. “Além de evitar gastos desnecessários, ainda ajuda o meio ambiente. São atitudes que eu já pratico dentro de casa e é gratificante ver isso sendo feito no ambiente de trabalho também”, declarou.

O prédio que possui quatro pavimentos e abriga as Varas Criminais do Tribunal de Justiça de Roraima. No local, trabalham mais de 200 pessoas, entre estagiários, servidores e colaboradores.