Servidora do TJRR participa de Convenção Mundial sobre Direitos Fundamentais

A servidora do Tribunal de Justiça de Roraima, lotada no gabinete da 2ª Vara Criminal de Boa Vista, Olivia Ricarte, está participando em Brasília, da II Convenção Mundial sobre Direitos Fundamentais e Garantias Constitucionais. O evento que teve início na quarta-feira (25), encerra hoje (27) e reúne especialistas nacionais e internacionais com o objetivo de proporcionar aos participantes, o ambiente ideal para discussão dos temas mais atuais da área.

A servidora participou como palestrante na convenção e falou sobre “As possibilidades atuais de relativização da soberania em face dos direitos humanos”. Na ocasião, integrou a mesa de abertura do evento que teve a presença de diversas personalidades, a exemplo da juíza da Suprema Corte Peruana, Isabel Cristina Torres Vega,  do presidente da Academia Mundial de Justiça Restaurativa, Reyler Rodriguez Chavez, o qual presenteou o TJRR com o livro: “A Justiça Restaurativa na América Latina”, além do juiz do Amazonas Gildo Alves de Carvalho Filho, da oficial do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Ieva Lazareviciute e Flávia Piovesan, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Mulher.

A Convenção Mundial foi preparada para juízes, procuradores, advogados, técnicos, estudantes universitários e público interessado em tornar ativos e eficazes,  os novos desafios do Direito Constitucional e Procedimento Constitucional.

Olívia Ricarte é graduada pela University Of Peace, no Controle de Migração de Risco, especialista em Direito Constitucional, Filosofia e Direitos Humanos.

 

Boa Vista, 27 de outubro de 2017

Presidente do TJRR participa de reunião sobre acessibilidade

A presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Elaine Bianchi, recebeu na tarde de ontem (25) o representante do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de Roraima (COEDE-RR), Francisco Macedo, o vice-presidente Hiderlan Matão, o presidente da Associação Suo Jure dos Surdos de Roraima (ASSJSRR), Fábio Tiago Maia, acompanhados por duas intérpretes da língua de sinais e membros do conselho.   


O encontro tratou sobre questões de acessibilidade comunicacional com as pessoas com deficiência auditiva. Os participantes puderam discutir medidas que possam promover maior inclusão das pessoas com deficiência na sociedade.


Matheus Almeida, estudante do ensino médio, apontou as dificuldades encontradas diariamente na rede de ensino público, devido a falta de profissionais capacitados para atender deficientes auditivos. "Eu quero cursar uma faculdade, mas para realizar esse sonho eu preciso que me deem as condições necessárias, como  uma intérprete capacitada para a sala de aula", explica.


Elaine Bianchi citou a oficina “Praticando as Diferenças”, realizada no mês de setembro, e externou a sua preocupação em ofertar um bom atendimento no TJRR a todo cidadão. "Já fiz uma solicitação do curso de libras para que possamos prestar melhor atendimento ao deficiente auditivo que chega até nós", disse.


Boa Vista, 27 de outubro de 2017.